Crônicas

O “amor” que as mulheres dos séculos passados conheceram

O despertador toca, são cinco horas, hora de levantar e fazer o café da manhã do amor da sua vida. Você faz tudo com perfeição do jeito que ele gosta, café, pão quentinho, manteiga caseira, mas ele reclama porque você não fez o bolo, talvez seja melhor você acordar mais cedo amanhã, ele é seu marido, não pode sentir falta de nada.

A manhã passa rápido, enquanto ele trabalha, você limpa, organiza, limpa mais uma vez. Olha pela janela, dezenas de pessoas caminhando, crianças brincando, mulheres varrendo. Você se sente feliz, tem uma casa e um marido para cuidar, muito mais do que a maioria das pessoas achavam que você conseguiria.

É hora do almoço, você faz tudo com rapidez e cuidado, mas ele não vem. Tudo bem, ele deve ter ficado preso no trabalho, ele trabalha muito, isso sempre acontece, não há motivos para se preocupar. O dia se arrasta em incontáveis minutos e quando a noite chega, além de fazer uma boa refeição, você precisa se arrumar, seu marido não pode chegar e ver você desarrumada, afinal de contas, você fica em casa, não há motivos para não estar sempre muito bem arrumada.

Ele chega, come todo o macarrão que você fez, diz que está bom, mas que você pode melhorar da próxima vez. Tudo bem, é só uma crítica construtiva, ele tem o direito de criticar você, ele é seu marido, só quer o seu bem. Você pergunta sobre o dia dele e ele não quer conversar, diz que está cansado e que não tem tempo pra perder contando o dia dele pra você. Tudo bem, ele está estressado, merece descansar.

No fim da noite, você deita na cama que ganhou de presente pelo seu casamento, se sente exausta, seus olhos estão pesados e você está quase adormecendo quando sente uma mão te acariciando, você realmente não está afim hoje e decide explicar seu cansaço, mas seu marido não quer saber, ele é homem, tem suas necessidades.

Não tem beijos, abraços ou sussurros ao pé do ouvido, somente o vazio de quem acabou de ser usada para uma satisfação completamente individual. Mas tudo bem, ele é seu marido, tem o direito de fazer sexo com você, foi pra isso que ele te escolheu, porque você é bonita e servirá para satisfazê-lo durante a noite.

Os dias vão passando e viram anos, você espera seu primeiro filho quando ele te chama de inútil e te bate pela primeira vez. Você se assusta e decide contar para sua mãe, mas ela te acalma e diz que é normal, afinal de contas, ela já apanhou também e ouviu da mãe dela, sua avó, que os homens fazem isso mesmo. Sem contar que você está grávida, não pode se dar ao luxo de criar esse filho sozinha, o que os vizinhos irão pensar de você?

O tempo passa, mais quatro filhos, a família que começou pequena, agora é enorme. Mais comida, mais bagunça, mais tempo no fogão, no banheiro, na pia. Mais cansaço, mais estresse, mais vontade de sumir. Você não quer ter mais filhos, mas seu marido quer, ele acha lindo famílias enormes, é o sonho dele. Quem é você para destruir esse sonho? Você é mulher, nasceu pra isso, não pode reclamar.

Você descobre que ele está te traindo e que não é de hoje, uma pessoa que trabalha no mercado que você frequenta, decide te contar e você fica arrasada ao saber que ele tem esse relacionamento desde de muitos antes de vocês se casarem. Seu sangue está fervendo quando ele chega do trabalho e você decide falar pra ele que está sabendo de seu caso.

Ele não dá a você nem uma chance de falar, você quer gritar, mas ele não deixa. Te leva pro quarto onde te bate várias vezes e te culpa por ser traída, te chama de feia e diz que você nunca deu a ele o que ele precisava. Você se sente culpada e pede desculpas, mas ele não quer saber, decide sair de casa e ir morar com aquela que sempre esteve ao lado dele, a amante.

Agora, é só você para sustentar cinco filhos e você se sente culpada por tirar o pai dos seus filhos de casa, o sonho dele era ter uma família grande e você tirou isso dele também. Sua cabeça está a mil, você está se sentindo muito mal por ter feito isso quando descobre que seu ex marido vai se casar com a amante e que não pretende ter filhos, porque eles só atrapalharão a vida que ele quer ter agora.

Você entra dentro do quarto, coloca um travesseiro no rosto e grita até a raiva passar, seus filhos estão em casa e não podem te ouvir chorar. Depois de chorar todas as suas dores, você coloca um sorriso no rosto e sai para batalhar, criar cinco filhos sem pensão não é fácil e você precisa se virar.

Afinal de contas, você é mulher, por mais que seu coração tenha sido partido em mil pedacinhos, esse é o seu papel, cuidar de tudo e de todos. Não é sua culpa, você aprendeu assim e por mais que você queira uma mudança, ninguém te ouve gritar, você é mulher, o que vão pensar se você levantar a cabeça e lutar?

(…)

You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.