Amor Serendipity
Filmes

Escrito Nas Estrelas

Escrito nas estrelas (Serendipity) é aquele tipo de filme que faz com que a gente volte ao nosso estado original, aquele estado incrível de euforia quando nos damos conta de que estamos apaixonados. O filme, que foi dirigido por Peter Chelsom e lançado dia 13 de setembro de 2001, conta a história de Jonathan Trager (John Cusack) e Sara Thomas (Kate Beckinsale) que se encontram por acaso em uma loja, poucos dias antes do Natal, e logo que se cruzam se sentem automaticamente atraídos um pelo outro. Apesar do fato de ambos estarem envolvidos em outros relacionamentos, Jonathan e Sara passam a noite andando em meio a magia de Manhattan. Quando a noite chega ao fim Jonathan propõe que Sara dê seu número para que ele possa encontrá-la outra vez, mas Sara acredita fielmente que nada é por acaso e faz com que Jonathan aceite que eles só voltarão a se ver novamente se isso estiver no destino dos dois.

Um filme deliciosamente cativante e despretensioso, maravilhosamente piegas, mas com uma mensagem maravilhosa. Desde pequenos fomos treinados para acreditar em ‘Amor à primeira vista’ ou em ‘Felizes para sempre’, mas com o passar dos anos somos tão pressionados pelas desilusões amorosas que simplesmente não aceitamos viver acreditando que em um passe de mágica encontraremos o Amor de nossas vidas.

Serendipity é uma palavra intraduzível para o português, mas segundo o meu pequeno conhecimento linguístico significa ‘uma coisa maravilhosa que acontece por acaso’ e é usada para definir o encontro de algo precioso quando não se está procurando por nada. O fato é que o significado dessa palavra chamou a minha atenção desde o princípio, Jonathan não procurava nada além de luvas novas em uma loja onde por acaso Sara estava procurando exatamente a mesma coisa e a partir daí, o encontro. Será que somos capazes de saber, exatamente, quando temos um encontro? Não aquele encontro casual com alguém, mas O Encontro, aquele que mudará as nossas vidas?

Jonathan nem por um momento cogita a ideia de desacreditar no destino, passa anos esperando para que O Encontro acontecesse outra vez. Sara por sua vez, tocou a vida, mas sem deixar de lembrar todos os dias daquela noite em Manhattan. Somos muito duros conosco e com as pessoas ao nosso redor, temos a necessidade de esfregar na cara das pessoas que somos felizes em nossos relacionamentos, tiramos fotos e postamos nas redes sociais para provar para pessoas desconhecidas que temos uma boa vida ao lado de uma pessoa que “supostamente” amamos. Mas aquela famosa pergunta: “Você está feliz?” te incomoda?

Se sim, meu caro, você está fazendo a coisa errada, ou pior, você está tentando provar para você mesmo que amor verdadeiro é coisa de cinema e que o que você tem é o bastante, mas por mais que eu queira te privar de decepções, eu tenho que te falar a verdade: não é o bastante. Assim como sara e Jonathan, você seguirá sua vida com aquilo que você acha que é o bastante, mas um dia você vai acordar, olhar para o lado e ver uma pessoa que apesar dos anos ao seu lado, você não ama mais. O amor pode acabar? Claro, mas se você acreditar que tem o bastante, quando no fundo você sabe que aquilo não é bastante, você descobrirá lá na frente que a sua consciência estava certa o tempo todo e você não quis acreditar.

É questão de insistir no amor verdadeiro, é questão de nadar contra a maré e acreditar sim que existe uma pessoa que foi feita para você. É imaturidade? Talvez, mas o que eu estou tentando dizer é que as melhores coisas acontecem quando nós saímos da nossa zona de conforto, as melhores coisas acontecem para aqueles que acreditam, que tem fé em alguma coisa, que apesar das decepções dessa vida, não deixaram de acreditar que nasceram para viver uma história de amor. Jonathan usou de todas as formas possíveis para encontrar a mulher que mudou a sua vida em poucas horas, Sara abandonou um namoro cliché para viver uma história maravilhosa, e ela tinha o direito de fazer isso porque se tratava da felicidade dela, como ela conseguiria viver se não provasse para ela mesma que o amor verdadeiro existia e que ela merecia um?

Escrito nas estrelas nos ensina que nada jamais se comparará a ter uma boa vida ao lado de quem se ama de verdade. Ensina como é importante ter fé nas coisas mais difíceis de acreditar. Ensina que amar ultrapassa todos os limites do bom senso e que a vida nem sempre vem com um manual de instruções, mas também ensina que tudo dá certo no final se você, simplesmente, acreditar. E por mais clichê que pareça ser, o filme nos mostra que amor é questão de amor, e que nada vai conseguir preencher a falta dele em nossos corações.

You Might Also Like...

No Comments

    Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.